Monthly Archives: Agosto 2009

Democracia, Petróleo e Matemática-II

Os bons alunos no Português e maus na Matemática são optimos a vender petróleo, os maus alunos no Português e bons na Matemática, são óptimos a pagar gasolina e gasóleo”

Há algum tempo atrás, no tempo em que o Petróleo se fartava de subir, defendi esta doutrina!barril

Pareceu-me na altura, uma teoria arrojada, pois só tinha sinais a jusante, do lado das subidas.

Era-me no entanto fundamental poder defender a teoria a montante…

Agora do lado das descidas!

Tinha a certeza, que a teoria só iria fazer sentido, se acompanhando  uma descida generalizada dos preços do petróleo, surgissem grandes equações, fundamentadas MATEMT~1 numa boa dose de retórica e sem qualquer estrutura matemática!

Mas vamos aos dados do problema, no dia 10/08/09 a GALP, publicou ou que parece em vários jornais, eu li no Público, um comunicado, onde em forma de auto-de-fé e com muito pesar explica as razões matemáticas e as fórmulas que levam à enformação dos preços do gasóleo e da gasolina nos postos de abastecimento.

Esta operadora explica a determinado passo: “…o preço do petróleo afecta apenas uma parcela do preço dos combustíveis, o qual, para além da componente energética, inclui custos fixos, tais como a infra-estrutura das estações de serviço, logística, pessoal e impostos…”, o que sem dúvida revela que a composição dos preços petroleo%200 em sede de descida do crude, obedece a uma criteriosa aplicação de fórmulas, não de simplicidade matemática, mas de uma profundidade retórica, que só mesmo os operadores desta matéria ( não digo prima, porque não é filha de nenhum dos meus tios.), conseguem perceber e aplicar!

É interessante descobrir, que no tempo em que a variação do preço do crude, foi ascendente, as restantes variáveis, não eram variáveis, mas constantes.

Aquando da descida dos preços, as constantes, transformaram-se miraculosamente em variáveis (a infra-estrutura das estações de serviço, logística, pessoal e impostos…), que de uma forma subtil e diga-se, muito a propósito, variaram no sentido do agravamento, de forma a que o resultado final (preço dos combustíveis do lado do homem de bem matematica1 e sem opções no que toca à compra de gasóleo e de gasolina), se mantenha o mais invariável, quanto a fórmula permite!

Mas a explicação para esta fórmula continua: “… compara igualmente o preço do petróleo em dólares com o dos combustíveis em euros sem ter em conta a variação relativa na cotação das duas moedas, o que não é legítimo…”

De facto, este é um problema profundo. Confesso que esta parte da teoria, me deixa completamente baralhado, pois, nos bancos, troca-se um euro por dólar e meio.

Parece-me que com um euro podemos assim comprar mais qualquercoisinha de petróleo.

Ou será que na praça, onde é vendido o crude, o Euro é uma moeda do mercado negro, e vale menos que o Dólar?

Ou, na pior das hipóteses, será que o Euro, não vale o mesmo em todos os países?

É se calhar esta a pedra de roseta na percepção destas explicações, por exemplo o euro espanhol faz melhor negócios e, assim, nuestros hermanos conseguem acompanhar melhor as descidas e subidas do crude, falo do lado dos consumidores.

Perante estas definições de preços, não me parece pois, que se baseiem em qualquer tipo de fórmula matemática, pois estas costumam reduzir-se à sua expressão simples, por forma a poderem ser compreendidas por qualquer pessoa de bem, que tenha feito a 4ª classe com sucesso na Matemática.

…Um simples cidadão, daqueles, que não tenha lido a “Morgadinha dos Canaviais”, ou de forma mais profunda, não tenha interpretado “Os Lusíadas”, mas que em contrapartida, tenha deitado contas à carteira, várias vezes seguidas durante a sucessão dos dias e,dos meses, perceba com toda a simplicidade, que 2+2=4, vai ter com certeza, muita dificuldade em perceber todos os pressupostos destas explicações…matematica

Estamos pois em condições de demonstrar, que os bons alunos no Português e péssimos na Matemática, são excepcionais a explicar e a vender o gasóleo e a gasolina nas estações de serviço.

…Agora o cidadão, que não domina em profundidade, este poder da retórica, mas aprendeu a fazer as quatro operações,  é que vai ter ainda mais dificuldade em perceber, porque diabo, tem ainda, de pagar para ler, estes anúncios mentecaptos, na Imprensa.

Ulisses Neves Pinto

Anúncios

Os Barões e o 31 da Armada assinalados – A Monarquia são só “Duques”…

Este mês de Agosto é talvez o mês do ano em que as surpresas se sucedem às catadupas.

Acho que é  ainda melhor que o Natal, na quantidade de prendas que recebemos.

Acho que sem Agosto, não haveria Democracia, pelo menos tal como a entendemos.

Antigamente tínhamos as Bacanais,baco2 durante o início da Primavera, altura em que tudo era permitido, podíamos fazer a nossa ligação à mãe Terra e, assim viver o resto do ano em equilíbrio.

 

Agora temos o mês de Agosto. folia

 

Basta abrir uma qualquer revista côr-de-rosa e é festança por todo o lado… Uma autêntica reinação…

Reinamos a tudo…

Até reinamos à monarquia!

No outro dia, um grupo desses reinadores, resolveu atravessar meia Lisboa, de escada às costas e, todo este sacrifício, para pôr a bandeira da monarquia na haste da Câmara… Ainda por cima mascarados de Darth Vaders.bandeira monarquica

Eu, como não percebi bem a piada acho que andavam na reinação!

Como só temos folia, a ideia foi mesmo arranjar um trinta e um a uma colecção de foliantes, que também não entenderam lá muito bem a piada.

Eu não entendi muito bem, porque, confesso, ainda não vi um monárquico a sério, daqueles que têm títulos a sério, defender a monarquia.

E não defendem a volta da monarquia, porque se isso acontecesse, então a reinação passava a ser de onze meses por ano e, se calhar, monarquia só no mês de Agosto é que levávamos as coisas a sério. Isto no pressuposto que o Rei metia férias durante esse mês!

Como tenho direito ao brazão ( acho que sim, mas nunca pensei muito no assunto…), esta reinação não me preocupava muito…

 

Também me entretinha a reinar umduarte pio bocadinho.

Mas já me preocupava ter um  Rei chamado  D.Duarte Pio.

Não sei porquê, mas acho um nome piroso para Rei…

 

 

1433Acho que D. Duarte,  já chega o que tivemos e, até foi importante…Mas sempre era rei a sério…sabia o que fazia e, sabia o que era melhor para este país… Até escreveu coisas sérias!

Mas para evitar estes incómodos todos, para evitar que alguns se sintam mal com estas piadas de mau gosto e, até poupar a nossa Justiça a mais um incómodo, podíamos resolver o problema pelo método mais simples:

– Fazíamos um a alteração Constitucional, onde se permitia , exclusivamente, durante os meses de verão, que os monáquicos da treta, pudessem “reinar”, uns com os outros, à vontade.

Nesta reinação, até podiam arranjar um rei e uma coroa e, assim dar largas à sua folia.

cesarEu cá para mim, reinação por reinação, sempre preferia fazer um reset ao jogo e voltar aos tempos do  Império Romano e, assim tentar outras hipóteses de evolução…Sempre poderia tentar passar por níveis mais sérios, mais adequados aos tempos de hoje!

Ulisses Neves Pinto